Processo produtivo sem água? Sim, é possível!

Publicado em 14 de abril de 2017
Processo produtivo sem água? Sim, é possível! Foto: Divulgação Processo produtivo sem água? Sim, é possível! Fonte: Divulgação

Um produto reciclado e 100% reciclável e que é produzido sem uma gota de água há mais de 10 anos. A Trisoft, com a escolha de utilizar matéria prima reciclada e eliminar totalmente a água do processo produtivo, está na dianteira do mercado, promovendo mudanças de comportamento na indústria. Maurício Cohab, Diretor da empresa, conta que o começo de tudo foi em 1992: “nós começamos a importar uma matéria prima que vinha do Japão, na época por uma empresa americana, que permitia eliminar a resina do produto”. Maurício lembra que a resina impedia a total reciclagem do produto e prescindia da água como condutor: “o uso da água era apenas para diluir a resina e permitir que ela fosse aplicada no produto. Imediatamente após esse processo, a água tornava-se desnecessária, ou seja, ela não agregava nada ao produto, apenas era um veículo. Daí a ideia de retirá-la do processo, buscando alternativas”.

Outros obstáculos, além da dificuldade de importação da matéria prima, começaram a surgir: foi necessário fazer adaptações no maquinário e havia muita resistência por parte de alguns clientes, especialmente aqueles que ainda não tinham muita consciência ambiental: “existia também uma mudança na aparência do produto, que se tornava mais macio e menos armado. Foi preciso convencer, aos poucos, os clientes”, lembra Maurício. Mas ele enfatiza o posicionamento da empresa: “para não corrermos o risco de retroceder por conta dos clientes, modificamos o maquinário de uma forma que não havia volta. Foi uma decisão consciente e um risco, que logo se mostrou um ganho em qualidade e em processo”. A água foi sendo eliminada, linha após linha de produto, até, por volta de 2007, ser totalmente retirada de todo o processo produtivo da empresa.

Para Maurício, buscar alternativas é uma questão de se comprometer com o futuro – “não é necessário mudar tudo de uma só vez. Aqui, na Trisoft, o processo foi lento, fomos nos adaptando, e ainda hoje vemos outras empresas, com ações e gestão voltadas para o verde, para a sustentabilidade, que nos servem de inspiração”. Na questão da água, mais do que nunca, em tempos de escassez – Maurício esteve recentemente em Brasília e há uma preocupação visível e urgente – é preciso encontrar alternativas, que estão à mão, mas prescindem de um olhar apurado sobre a realidade ambiental. “Não podemos pensar no planeta e seus recursos como um guardanapo, que jogamos fora após o uso. É preciso que haja planejamento e coerência por parte do mercado”, reforça o diretor.

A Trisoft tem hoje produtos que podem ser usados em colchões, estofados, colchonetes, palmilhas, isolamento termo acústico em forros e paredes, próprios para o mercado de construção, automobilístico, moveleiro, pet, de moda, hotelaria, entre inúmeros outros, todos eles com uma produção limpa e sem utilização de água. A empresa acredita tanto na transformação que está realizando no mercado que criou, em 2016, um selo de qualidade, o Selo Trisoft, que traz o slogan: “Tem Trisoft, Melhor pro Planeta”, que atesta, no produto final, que ele foi construído com um produto reciclado e 100% reciclável.




Comentários