Rio das Ostras melhora atendimento do Pré-Natal de Alto Risco

Publicado em 14 de abril de 2017
Rio das Ostras melhora atendimento do Pré-Natal de Alto Risco Foto: Divulgação Rio das Ostras melhora atendimento do Pré-Natal de Alto Risco Fonte: Divulgação

Como forma de oferecer um atendimento especializado e integral a mulheres grávidas sob riscos maiores que os habituais, a Secretaria de Saúde de Rio das Ostras promoveu melhorias no atendimento. As gestantes contam com equipe multiprofissional e grupos de acolhimento e orientação com especialistas.

São quase 90 grávidas recebendo atendimento da equipe, que inclui obstetra, enfermeiro, dentista, psicólogo, assistente social, endocrinologista e fisioterapeuta.

O serviço é direcionado a gestantes de alto risco, como aquelas com doenças pré-existentes, como diabetes, hipertensão, obesidade e cardiopatias ou aquelas que desenvolveram problemas de saúde durante a gravidez.

A coordenadora do Programa de Saúde da Mulher, Flávia de Carvalho, explica que as pacientes são encaminhadas pelos profissionais das unidades básicas de saúde, quando identificam a necessidade de um atendimento específico.

“Antes o serviço funcionava em Nova Cidade. A transferência para o Centro de Saúde da Extensão do Bosque facilita o acesso das gestantes, com diversidade de transporte público”, completa Flávia. O serviço funciona no Centro de Saúde da Extensão do Bosque, onde acontecem também os encontros do grupo de acolhimento. A fisioterapeuta Daniela Lima e a nutricionista Dina Freitas orientam as mulheres, esclarecem dúvidas sobre os cuidados nesta gravidez, alimentação e sobre o puerpério (período do pós-parto), que inclui amamentação do bebê.

Amanda Xavier, de 29 anos, está no quarto mês de sua segunda gestação. A gravidez de Amanda, que tem asma, é considerada de alto risco. Ela é atendida pelo obstetra da Rede Municipal, nutricionista e também por um alergista. Ela elogia o serviço e o grupo de acolhimento.

“Eu gostei muito, especialmente das dicas e orientações. Estou preocupada com a amamentação porque não consegui amamentar meu primeiro bebê. Mas acho que agora pode ser diferente”, contou a gestante, que disse estar seguindo à risca as orientações médicas e nutricionais.

O grupo também tem a importante função de acompanhamento dessas mulheres. “Em contato periódico com as gestantes podemos acompanhar se elas estão indo às consultas. Assim garantimos o acesso das grávidas aos recursos que estão disponíveis na Rede Municipal de Saúde” Dina Freitas explica que, além da orientação nutricional oferecida no grupo, a mulher pode ser encaminhada ao atendimento nutricional individual dependendo da necessidade, como no caso de grávidas hipertensas ou diabéticas.

ALTO RISCO – De acordo com o Ministério da Saúde, a evolução da gestação se dá, na maior parte dos casos, sem intercorrências. Porém há uma parcela das grávidas que, por serem portadoras de alguma doença, sofrerem algum agravo ou desenvolverem problemas, apresentam maiores probabilidades de evolução desfavorável, tanto para o feto como para a mãe. Existem vários tipos de fatores geradores de risco gestacional. Alguns deles podem estar presentes ainda antes da ocorrência da gravidez. É importante que as mulheres em idade reprodutiva tenham acesso aos serviços de saúde e oportunidade de estar bem informadas e na melhor condição física possível antes de engravidar.




Comentários