Líderes empresariais buscam manter Aeroporto de Macaé no consórcio de licitação

Publicado em 29 de junho de 2018
Líderes empresariais buscam manter Aeroporto de Macaé no consórcio de licitação Foto: Divulgação

Após receberem a notícia que a pedido do Governador de Estado do Espírito Santo, Paulo Hartung, o aeroporto de Macaé poderia não estar mais na listagem do consórcio de privatização, e com isso, correndo o risco de estagnar sua ampliação na recepção de voos comerciais e empresariais, representantes das instituições e empresários, irão entregar para o governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, um manifesto que demonstra a importância do aeroporto para a Capital do Petróleo.

A comitiva irá nesta sexta-feira, dia 29, até o Palácio Guanabara, conversar com o governador, Pezão, com o objetivo de solicitar seu apoio para que o aeroporto de Macaé seja mantido na 5ª rodada de concessões de aeroportos, referente aos blocos das regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Desta forma, permitir que o empreendimento receba verba dos concessionários, possibilitando sua ampliação e o desenvolvimento econômico e social de Macaé. No dia 10, o grupo seguirá, até Brasília, para falar com o Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil do Brasil, Valter Casimiro.

Os manifestantes consideram ser dever legítimo da sociedade atuar a favor da soberania de suas riquezas e patrimônios, e solicitam que, no mínimo, sejam considerados e incluídos no edital os investimentos e melhorias necessárias previstas no Plano Diretor de 2016 do aeroporto de Macaé. Ainda segundo os representantes esta retirada seria prejudicial não apenas para cidade, mas também para o Brasil, visto a importância da cidade para o país.

No manifesto consta a declaração da ABESPETRO, Associação das Empresas de Serviços de Petróleo, sobre Macaé, “o município é mundialmente reconhecido pela sua importância para indústria de óleo e gás, e concentra as maiores empresas mundiais desse segmento, já que reúne as condições necessárias para o desenvolvimento e fortalecimento dessa indústria - que necessita de eficaz infraestrutura rodoviária, ferroviária, universidades, hotelaria, centros de pesquisa, etc. Nesse sentido, a retomada das operações do aeroporto de Macaé irá garantir que a indústria de óleo e gás mantenha os seus investimentos, com a consequente geração de renda e empregos para o município e toda região Norte Fluminense. Além disso, o aeroporto era o requisito que estava faltando para a cidade fazer jus, novamente, ao seu merecido título de Cluster da Indústria de O&G”.

No texto ainda foi feito um comparativo com os aeroportos de todas as cidades do mundo com população e atividade econômica equivalente a Capital do petróleo no Brasil e, “Macaé tem infraestrutura aeroportuária muito inferior, quando comparada a outras cidades que dão suporte logístico às atividades petrolíferas offshore no mundo, fora o Brasil. São elas: a) Aberdeen no Reino Unido; Bergen e Stavanger, na Noruega. Estas três relativas às atividades no Mar do Norte; e b) Ciudad del Carmen, no México. Do Golfo do México abordaremos apenas esta, pois o México está mais próximo da nossa realidade que os Estados Unidos”.

Em outro trecho, é citado sobre o potencial turístico da cidade “além do petróleo, Macaé também tem enorme potencial turístico tanto de lazer quanto de negócios, que dependem de acesso mais conveniente e rápido para se desenvolverem. Dispomos do segundo maior parque hoteleiro do estado, atrás apenas da capital Rio de Janeiro. São em sua grande maioria hotéis modernos, confortáveis e competitivos. Em 2018, até o mês de junho, foram inaugurados mais três novos hotéis”.

Assinam o manifesto as instituições organizadoras do Repensar Macaé: ACIM (Associação Comercial e Industrial de Macaé); Comissão Municipal da FIRJAN; RedePetro-BC; Macaé Convention & Visitors Bureau; IADC (International Association of Drilling Contractors); SPE (Society of Petroleum Engineers); AMACON (Associação dos Contabilistas de Macaé); e as instituições apoiadoras, ABESPETRO (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Petróleo); Confederação de Convention & Visitors Bureaux;Assessoria Técnica Aeroportuária da Prefeitura Municipal de Macaé e Federação de Convention & Visitors Bureax do Estado do Rio de Janeiro.




Comentários