Maioria das empresas de mulheres está “No Começo”

Publicado em 09 de março de 2018
Maioria das empresas de mulheres está “No Começo” Foto: Divulgação Maioria das empresas de mulheres está “No Começo” Fonte: Divulgação

Estudo feito pela Serasa Experian em razão do Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março (quinta-feira), aponta que 37% das companhias com sócias do sexo feminino estão “No Começo”, ou seja, são empresas com menos de cinco anos, e predominância de dois anos de idade, entre Microempreendedores Individuais (MEIs), Microempresas, Pequenas e Médias Empresas. As sócias, em sua maioria, são jovens adultas com idade de 26 a 45 anos, a maior parte pertencente às classes sociais C e D.

O estudo leva em conta a segmentação Mosaic Business, criada pela Serasa Experian e lançada em outubro do ano passado, e que analisa os 17 milhões de empresas ativas do país, levando em conta mais de 150 variáveis, como a natureza jurídica, o desempenho, o setor, a quantidade de empregados, entre outras informações. O Mosaic Business mostra que, das mais de 9 milhões de empresas que possuem sócias mulheres, quase 80% estão concentradas nos três grupos e dez segmentos abaixo (veja tabela):

GRUPO SEGMENTO %
No Começo Começo Equilibrado 15
No Começo Jovens Empreendedores em Ascensão 13
Na Luta Pequenos Negócios no Aperto 9
No Começo Começando com Cautela 9
Na Luta Jovens Empreendedores na Batalha 8
Bom Caminho Comerciantes Experientes e de Sucesso 7
Bom Caminho Pequenos Comerciantes do Interior 5
Na Luta No Fôlego do Dono 5
Na Luta Comerciantes Ativos em Momento Difícil 4
Na Luta Pequena Sociedade na Luta 2
“Cada vez mais mulheres têm se lançado como empreendedoras no país, por isso vemos a predominâncias de negócios recentes. O caminho do empreendedorismo feminino é uma das alternativas para aumentar o rendimento ou até ser a principal fonte de renda da família”, explica Fernando Rosolem, gerente sênior de soluções da Serasa Experian.

Segundo levantamento feito pela Serasa Experian com dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2014 a 2017, a participação das mulheres empreendedoras (empregadoras ou que trabalham por conta própria) passou de 21,7% para 24,3% do total das mulheres que trabalham. Um aumento de 2,6 pontos percentuais. Este aumento foi maior que o dos homens (1,4 pontos percentuais), que passaram de 36,5% para 37,9% dentre os homens que trabalham.

Como mostra a tabela acima, o segmento “Começo Equilibrado” é o de maior concentração entre as empresas das mulheres, e são MEIs que sinalizam um começo cauteloso por meio de suas transações e atividades de mercado moderadas, bem como indicadores financeiros saudáveis. Em seguida, vemos os “Jovens empreendedores em Ascensão”, que indicam MEIs com ótima situação de crédito e indicadores financeiros mostrando crescimento.

O segmento “Começando com Cautela”, também do grupo “No Começo”, é formado por MEIs do setor de comércio e serviços, apresentando baixa operacionalidade no mercado, e indicando um começo cauteloso sem muita operação de fato, ainda.

“Na Luta” e no “Bom Caminho”
Após o grupo “No Começo”, que é o predominante, temos uma concentração de 28% das empresas no grupo “Na Luta”, que é composto por negócios que apresentam alguma dificuldade financeira, que pode ser uma fase, ou uma situação mais prolongada. Essas empresas têm, predominantemente, acima de 5 anos e um risco de crédito médio ou alto. Em termos de porte, a maioria é Microempreendedor Individual (MEI) e Microempresa (ME).

Em terceiro lugar, o estudo Mosaic Empresas mostra que 12% dessas empresas com sócias mulheres estão no “Bom Caminho”, com indicadores financeiros positivos e confortáveis e com mais tempo de existência (acima de 10 anos).

Sobre o Mosaic Business:
A Serasa Experian, por meio de métodos estatísticos avançados e utilizando seu portfólio de dados, desenvolveu uma solução única no mercado de segmentação de empresas, dividindo as empresas do Brasil em 7 grupos e 54 segmentos. Foram utilizadas diversas variáveis como: natureza jurídica, tipo de empresas, filiais, empregados, desempenho e indicadores financeiros, setor, porte, entre outros, além de uma rigorosa validação de profissionais experientes em inteligência de dados no mundo B2B. O estudo leva em conta as cerca de 17 milhões de empresas ativas do país, de acordo com os critérios da Receita Federal.

Saiba mais em: www.serasaexperian.com.br/mosaicbusiness




Comentários