Rio das Ostras desenvolve Projeto Superação

Publicado em 06 de outubro de 2017
Rio das Ostras desenvolve Projeto Superação Foto: Divulgação O que fazer quando o mundo vira de cabeça para baixo Fonte: Divulgação

Rio das Ostras está empenhada em garantir a plena alfabetização dos alunos até o 3º ano do Ensino Fundamental, assegurando a fluência de leitura, compreensão e produção textuais. Para isso, a Secretaria de Educação desenvolveu o Projeto Superação. Iniciado em maio de 2017, o Superação beneficia cerca de 300 estudantes a partir de 9 anos, oferecendo aulas de reforço com materiais específicos e diversificados.

O projeto foi criado após o diagnóstico dos alunos que cursam até o 3º ano do Ensino Fundamental realizado pela Coordenadoria de Avaliação, Acompanhamento Pedagógico e Formação – Casa da Educação. Com esse estudo foi possível identificar os estudantes que ainda não estavam plenamente alfabetizados. Para superar essa defasagem, são oferecidas duas aulas semanais, de 120 minutos cada, nas quais são reforçadas as bases de aprendizagem dos conteúdos de 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental.

“Buscamos resgatar o aprendizado que os alunos não conseguiram atingir em sala de aula. Elaboramos um referencial curricular próprio, definindo tudo que devem saber para serem considerados alfabetizados. O grande diferencial do Superação em relação às demais aulas de reforço é que sabemos de qual ponto partimos, já que fizemos um diagnóstico, e onde queremos chegar no desenvolvimento desses estudantes”, explica Carolina Pimentel, coordenadora pedagógica da Casa da Educação e integrante da equipe idealizadora do projeto.

Os estudantes atendidos pelo Superação em 13 diferentes unidades de ensino já estão experimentando os benefícios do projeto. Esse é o caso de Yasmin do Nascimento Dinantes, de 11 anos, do Ciep Municipalizado Mestre Marçal. “Aprendi a fazer as contas de dividir, somar e diminuir, que ainda não sabia, e melhorei na leitura”, conta. Seu colega nas aulas do Superação, Daniel Cruz dos Santos, de 13 anos, diz que as aulas também são divertidas. “Gosto principalmente do jogo de trilhas, onde avançamos as casas quando acertamos a resposta”, afirma.

ACOMPANHAMENTO – Todos os professores que atuam no projeto recebem apoio e acompanhamento dos coordenadores da Casa da Educação. Em reuniões quinzenais, constroem juntos propostas didático-pedagógicas diferenciadas e diversificadas.

“O grande diferencial da iniciativa é o atendimento individualizado que podemos oferecer. Conseguimos dar aulas mais dinâmicas, com jogos e atividades lúdicas que ajudam a trabalhar as dificuldades específicas dos alunos”, enfatiza Maria Claudirene de Alencar, professora do Superação no Ciep Municipalizado Mestre Marçal e nas escolas Maria da Penha de Oliveira e Nilton Balthazar.

Segundo Priscila Almeida, coordenadora pedagógica do projeto no Ciep Municipalizado Mestre Marçal, o Superação tem alcançado excelentes resultados por valorizar a especificidade de cada estudante. “Ao desenvolvermos as atividades, pensamos na idade e nas dificuldades individuais do aluno. Geralmente, o material encontrado para a alfabetização é muito infantil e precisamos adaptá-los para os pré-adolescentes e adolescentes”, reforça.




Comentários