[ EDUCAÇÃO ] Por Cezar Augusto Santa Ana

Educação de qualidade para além dos clichês

Publicado em 04 de março
Educação de qualidade para além dos clichês Foto: Divulgação

Há tempos, tem sido comum a expressão “educação de qualidade” que aparece em diversas facetas: como o que se deseja, o que se sonha, o que se promete, promete, promete... E o que quase nunca vem!

Entretanto, entre a promessa e o que não vem, há um jogo enevoado que envolve o discurso e a realidade, na qual se culpa alguns para desviar o foco dos verdadeiros culpados.

Em geral, caem sobre os ombros dos professores o peso dos maus resultados de uma educação escolar ruim. Mas a sala de aula não pode ser vista como o único espaço redentor das mazelas sociais. Em redor do trabalho docente há uma conjuntura que vai compor o que efetivamente se chama sistema de ensino.

Assim, não dá para desvencilhar maus resultados das péssimas condições de trabalho, nas quais, muitas vezes, o professor trabalha: salas de aula extremamente quentes, número excessivo de estudantes em classe, falta de material didático e estrutura, e falta de um bom projeto político-pedagógico serão atalhos à inconsistência do sistema educacional e de uma sociedade doente.

Sem condições mínimas, o trabalho docente fica inviável. Além disso, é uma injustiça atribuir aos professores o fracasso de um sistema que não colabora em nada com a qualidade educacional. Em muitos lugares, em altas temperaturas, salas sem um ventilador retratam o desconhecimento e desinteresse de gestores educacionais com a realidade. Muitas e muitas vezes, a absoluta falta de diálogo entre esses gestores e a categoria dos professores espelham uma absoluta inversão de valores essenciais às boas escolas.

Por outro lado, professores são atores sociais de fundamental importância. Assim sendo, é indispensável que haja mobilização, no intuito de promover a apresentação de propostas que possam levar a um novo cenário.

Se o cenário não mudar, e se não forem apontadas e aplicadas ações para tirar a educação desse quadro tantas vezes caótico, quantas crianças ainda vão ter o direito à dignidade tirado nas salas de aula sem condições humanas, nas escolas sem estrutura, no descrédito público e na desesperança social? Até quando, afinal, a “educação de qualidade” será apenas um clichê?



Comentários

Cezar Augusto Santa Ana

Cezar Augusto
Santa Ana

coluna@jornalpress.com.br
Cezar Augusto Santa Ana é Diretor Pedagógico do Colégio Mosaico, em Rio das Ostras. Graduado em Letras pela Uerj, Especialista e Mestre pela UFRJ, atua nessa mesma Universidade, no Campus de Macaé. Professor licenciado do município de Rio das Ostras, Leciona há mais de vinte anos na Região dos Lagos, sendo conhecido pelo trabalho docente transpassado por várias gerações. Possui publicações em diversos gêneros que transitam da escrita acadêmica à poesia. Em sua mais recente pesquisa pela Capes, investigou a topoafetividade dos pescadores da Boca da Barra, em Rio das Ostras.

Compartilhe...

Colégio Mosaico
Colégio Mosaico