Blog da Brigitte

A BARATA VOADORA

Publicado em 25 agosto de 2017
A BARATA VOADORA Foto: Divulgação A BARATA VOADORA Foto: Divulgação

Todo mundo concorda que uma barata pode abalar o psicológico de qualquer pessoa, do homem mais valente a mocinha mais singela? Pois bem, nessa semana que passou, eu vivi uma situação que está me fazendo rir até agora.

Estava no Rio de Janeiro fazendo uma entrevista para uma matéria especial que estou produzindo sobre a importância do sexo tântrico no acasalamento humano, quando reparei que o irmão da minha entrevistada não tirava o olho de mim (estou falando isso porque sou antenada e presto atenção em tudo, o tempo todo. Mesmo quando estou trabalhando...)

Preciso confessar que notei que ele realmente era um gato. Lindo, com um corpo escultural, alto, inteligente, cheiroso e muito bem-humorado (acho fundamental que o homem tenha bom humor e saiba rir de qualquer situação que a vida nos apresente). Com charme e elegância, ele esperou acabar a entrevista e veio conversar comigo. Depois de uns vinte minutos de bate-papo, ele me chamou para sair. Como eu quero me mudar meu status no facebook para “relacionamento sério com...”, aceitei.

De forma inusitada, ele sugeriu que tivéssemos um encontro diferenciado porque ele sabia que eu era uma mulher especial e, segundo ele, uma mulher especial não pode ter encontros comuns.

Ele marcou em um bistrô bem descolado e quando eu estava chegando no local, reparei que o local estava uma penumbra, com umas velas acesas ao fundo. Na entrada, ao chegar na porta, o chef veio me recepcionar pessoalmente e me disse que o meu acompanhante me aguardava. O restaurante estava completamente vazio, sem ninguém, e pelo caminho havia pétalas de rosas que exalam um perfume magnífico. Tudo aquilo me impressionou de uma forma que não sei explicar.

Para entrada, o chef nos serviu “vieiras seladas com aspargos”. O jantar foi lagosta e na sobremesa degustamos pêras flambadas com calda de amoras silvestres. Já estava encantada com tudo e bem soltinha porque o Dom Perignon já estava fazendo efeito. Posso dizer, inclusive, que já estava completamente entregue.

Depois de muita conversa, senti que o amor estava no ar. O clima estava propício para termos um final de noite maravilhoso...

Aí vocês vão me perguntar porque o título dessa crônica é barata voadora, se estou contando que tive um encontro dos sonhos, não é? Pois bem, agora vocês vão entender...

Estávamos entre carícias e chamegos, prontos para nos beijar, quando notei uma que do nada apareceu uma barata na parede. Tomei um susto e gritei e, com o meu grito, parece que a barata se assustou e decidiu alçar voo em nossa direção. O meu príncipe encantando se transformou em sapo numa fração de segundos e começou a gritar. Para piorar a situação, a barata decidiu pousar em seus cabelos (e que cabelos sedosos, meu Deus...). Ele teve um ataque de pânico e acabou desmaiando. A essa altura, já tinha garçons, o chef, o segurança e duas ajudantes na mesa para saber o que estava acontecendo.

Bem, o meu fim de noite cheio de luxúria tinha ido por água abaixo. Eu não conseguia parar de rir quando lembrava o desespero do meu acompanhante, balançando o braço que nem aqueles bonecos de posto, gritando como uma criança saindo de um trem fantasma e desfalecendo como se fosse uma árvore tombando em uma floresta após o corte do lenhador.

Ele se recuperou rapidamente e ficou super envergonhado com a situação, principalmente porque eu não parava de rir. É claro que não rolou mais nada naquele dia. E, depois de me pedir desculpas pelo ocorrido e dizer que não sabia explicar como a barata apareceu ali já que uma de suas exigências e com relação a higiene do local, ele solicitou que um motorista me levasse em casa.

No dia seguinte ele me enviou flores, chocolates e um cartão onde ele perguntava se ainda tinha alguma chance. É claro que saímos dois dias depois e ele me levou para um passeio de lancha. Mas isso é uma outra história...


Comentários

Brigitte Belmont

brigitte@jornalpress.com.br
Brigitte Belmont é jornalista, publicitária, relações pública, fotógrafa, colunista, redatora, revisora, radialista, apresentadora, produtora, modelo, atriz, diretora, escritora, web designer, pintora, artesã, atleta, maravilhosa, esplendorosa, magnífica, inteligente, poderosa, modesta e mulher presente nas mais variadas e distintas situações para mostrar que a cidade não para e está sempre em movimento.

Compartilhe...