Blog da Brigitte

O DEDO MINDINHO...

Publicado em 05 de maio de 2017
O DEDO MINDINHO... Foto: Divulgação O DEDO MINDINHO... Foto: Divulgação O DEDO MINDINHO... Foto: Divulgação O DEDO MINDINHO... Foto: Divulgação

Como estou numa fase muito indagadora, decidi fazer um novo questionamento muito importante: para que serve o dedo mindinho, principalmente o do pé?

É claro que os estudiosos vão falar que é para manter o equilíbrio do corpo. Já li até que tem um neurologista japonês, chamado Dr. Yuzuru Yasuda, que é especialista em tratamento do dedo mindinho. Ora bolas, na minha humilde opinião, ele só serve para dar topada e deixar você chorando de dor.

Estou falando isso porque essa semana estava no meu sono de beleza e decidi ir ao banheiro e beber um copinho de água aromatizada de maracujá que estava na minha geladeira (gosto de beber água aromatizada com maracujá porque é relaxante e me deixa bem calminha). Na volta para cama, estava ainda meio sonolenta e acabei acertando, literalmente, na quina.... só que da cama bem com o meu mindinho do pé direito.

Na hora, o sono foi embora, trombetas ecoaram, alarmes dispararam, gritos alardearam os vizinhos e uma dor insuportável tomou conta de mim. Foi como se tivesse um orgasmo invertido, ou como se estivesse tido gêmeos de parto natural, sem nenhum tipo de anestesia. Pensei que tinha quebrado o corpo inteiro porque a dor irradiava por toda a minha alma, até o último fio de cabelo.

Além da dor, eu pensava em outro problema decorrente da topada: quem ia limpar o quarto? Afinal de contas, com o “impacto”, o copo com minha água aromatizada foi para o espaço, cacos de vidro pelo chão, colchão molhado, lençol com aquelas sementes pretinhas espalhadas, enfim... um caos... Confesso que, apesar do maracujá, minha calma tinha ido embora com passagem só de ida e sem nenhuma pretensão de voltar.

Mesmo tomando um litro de suco de maracujá (isso mesmo, a essa altura do campeonato, a água aromatizada não iria adiantar...), não preciso falar que não consegui dormir mais porque o dedo latejava sem parar. Fiquei três dias de molho, deitada porque não conseguia colocar o pé no chão (Não tenho culpa se sou uma lady, com uma sensibilidade à flor da pele). Trabalhei nesse período com meu notebook, um fiel escudeiro para esses momentos difíceis.

A partir daí, passei a ter um cuidado maior com os meus pés. Quando consegui levantar da cama, marquei uma consulta vip com minha dermatologista e com uma podóloga mais que especial. O cuidado que elas tiveram foi sensacional. Meu pé e, principalmente, meus dedinhos, foram revigorados, restaurados e fortificados (isso mesmo, descobri que tem um exercício específico para fortalecimento dos dedos dos pés...).

Passado o susto, fui conversar com uma amiga e ela me deu uma grande definição para a minha pergunta inicial: na verdade, não serve para nada. O engraçado foi que, a princípio, ela tinha pensado que o dedo mindinho era da mão. Ela me disse que o dedo mínimo da mão só serve para aparecer na hora que tomamos cafezinho. Em alguns casos extremos, vale também para uma aposentadoria forçada que acaba levando a pessoa à Presidência da República. Mas isso é outra história....


Comentários

Brigitte Belmont

brigitte@jornalpress.com.br
Brigitte Belmont é jornalista, publicitária, relações pública, fotógrafa, colunista, redatora, revisora, radialista, apresentadora, produtora, modelo, atriz, diretora, escritora, web designer, pintora, artesã, atleta, maravilhosa, esplendorosa, magnífica, inteligente, poderosa, modesta e mulher presente nas mais variadas e distintas situações para mostrar que a cidade não para e está sempre em movimento.

Compartilhe...