Blog da Brigitte

Vergonha

Publicado em 17 de fevereiro de 2017
Vergonha Foto: Divulgação Vergonha Foto: Divulgação Vergonha Foto: Divulgação

Meus queridos leitores, primeiramente gostaria de pedir desculpas pela coluna da semana passada. Realmente estava muito cansada devido ao excesso de trabalho e, como estava dormindo muito pouco, acabei entregando a coluna daquele jeito para o meu chefinho. Fiquei com uma vergonha danada porque eu não sabia que o texto estava indo daquele jeito.

Como estou confessando a minha vergonha, decidi usar este tema para escrever a coluna dessa semana.

Todos nós, em algum momento da vida, já ficamos envergonhados pelo menos uma vez. Seja por um erro como o meu, um trabalho entregue para o chefe ou para o professor, um tombo no meio da rua, ou até mesmo derrubar um saco cheio de pipoca no meio do cinema, por exemplo.

Só para descontrair, vou contar um caso de uma amiga que praticamente entrou em depressão depois de passar vergonha em diversas situações no mesmo dia. O dia dela começou na praia. Ela está um pouquinho acima do peso, mas acha que ainda tem o corpo de quando era adolescente. Seu biquíni era “M” para cobrir um corpo “G” (é óbvio que ela não tem um corpo como o meu). Na primeira vez que minha amiga foi dar um mergulho, a onda deu uma rabiada nela que ela rolou entre a marola pela areia. Só por isso já seria vergonha, mas quando ela levantou, percebeu que as pessoas estavam ilhando para ela e rindo. A parte de cima do biquíni tinha parado na garganta, deixando seus avantajados seios a mostra. A coitada se recompôs, voltou para areia e ao sentar na sua cadeira de praia, a lona rasgou, a base entortou e ela acabou caindo de bunda na areia. Para completar a situação calamitosa da parte da manhã, um vento mais arrojado levou sua barraca para longe, naquela típica cena espalhafatosa onde uma pessoa sai correndo pela areia para tentar recuperar o guarda-sol voador.

Na parte da tarde, decidimos ir ao cinema ver uma comédia romântica para descontrair. Compramos pipoca, bala e amendoim para degustação durante a sessão. Na hora que o mocinho foi beijar a mocinha, minha amiga se engasgou como caroço da pipoca, teve um acesso de tosse a ponto do lanterninha vir até nós perguntar se precisávamos de socorro. Na saída, ao morder um amendoim bem torradinho, seu canino direito quebrou bem na parte de cima, restando apenas um caco para contar a história.

Envergonhada como nuca havia ficado na vida, minha amiga decidiu fechar a boca e ir para casa para ligar para seu dentista e esquecer aquele dia. Mas nada está tão ruim que não possa piorar... A poucos metros da entrada deu prédio, ao passar por um senhor que passeava com seu cachorro, um gato se assustou com o cão, o bichano correu por entre suas pernas, ela caiu, derrubou o sr idoso, rasgou a saia, ralou o joelho e, ainda por cima, viu o seu dente (sabe aquele que ela perdeu ao morder o amendoim, então... ela havia guardado para levar para o dentista) voar para a caixa ralo depois que sua bolsa abriu quando ela foi ao chão.

Antes de dormir, ela acendeu uma vela para seu anjo de guarda que, pelo visto estava de folga naquele dia que ficou conhecido como Dia da Vergonha. Para ela e para mim... que acompanhei todas as suas peripécias. E você? Conte-me qual foi a sua maior vergonha... Saiba que só vai ficar entre nós...


Comentários

Brigitte Belmont

brigitte@jornalpress.com.br
Brigitte Belmont é jornalista, publicitária, relações pública, fotógrafa, colunista, redatora, revisora, radialista, apresentadora, produtora, modelo, atriz, diretora, escritora, web designer, pintora, artesã, atleta, maravilhosa, esplendorosa, magnífica, inteligente, poderosa, modesta e mulher presente nas mais variadas e distintas situações para mostrar que a cidade não para e está sempre em movimento.

Compartilhe...