Blog da Brigitte

Cenas dos próximos capítulos

Publicado em 18 de março de 2016
Crise e TPM Foto: Beatriz Levischi Cenas dos próximos capítulos Foto: Divulgação

Depois de uma preguicinha básica para fazer coluna, voltei com uma inspiração bem afiada, tendo em vista que nessa última semana, todos nós vivemos um carrossel de emoções. Tivemos momentos muito importantes: protestos, passeatas, polêmicas com babás, nomeações e, na minha humilde opinião, o mais importante que foi o fim da novela “A Regra do Jogo”.

Embora seja fã do João Emanuel Carneiro (acho que na atualidade ele é o melhor autor de novelas da Globo), não gostei do final. Confesso que sinto falta da Janete Clair, do Dias Gomes e do Cassiano Gabus Mendes e de novelas como “Vale Tudo”, “Que Rei Sou Eu” e”Roque Santeiro”, “Selva de Pedra”, “Saramandaia”, “Senhora do Destino”, “A Favorita”, “Avenida Brasil”, “Dancin Days” e muitas outra. Dá para perceber que sou uma noveleira de carteirinha não é?

Acho engraçado quando as pessoas falam: “Isso só acontece em novela...” Queridas e queridos, é fato que a vida imita a arte e que, muitas vezes, a arte imita a vida. É só lembrar dos clássicos de Nelson Rodrigues em episódios da “Vida Como Ela É”.

Voltando ao final da novela, achei que foi muito sem graça. Depois de dar mais golpe, A Atena fica conversando com o filho que tinha o nome do amor de sua vida, o bandido Romero e fim.

Mas como fim???? Se eu tivesse escrito, o meu final seria bem mais surpreendente. Tenho certeza que ficaria bem melhor o final fosse uma cena onde apareceria aqueles bandidos todos da facção em uma sala na penumbra para saudar o novo PAI da facção (Afinal de contas, o crime no Brasil não vai acabar nunca...). Um vulto iria entrando bem devagar e de repente pááááááááááá...... apareceria a Adisabeba como a MÃE....ou a Nora ou até mesmo o Juliano que era o melhor policial de toda a novela, mesmo não tendo passado pela Academia de Polícia. Não seria mais impactante?

Estou pensando em entrar neste ramo. Embora eu seja apaixonada por comédia, minha novela também seria baseada em drama, romance, aventura e suspense (tem que ter um QUEM MATOU? Porque senão não tem graça...)

Embora eu também goste do Manoel Carlos (outro autor de novelas para quem não sabe), por contar sempre com um enredo urbano e atual, minha novela não teria o Leblon como pano de fundo. Acho que minha trama iria combinar com uma cidade fictícia onde tivéssemos um ditador no poder. O enredo seria sobre esse político que teria tido uma infância humilde, criado por uma família sem condições de sustentá-lo até a sua chegada ao poder. Esse trajeto seria a forma de desenvolver toda a trama, onde poderia explorar o seu gosto pela fama e pelo próprio poder.

Neste caso todos os meios utilizados poderiam justificar seus meios, com muito suspense e aventura. Seu envolvimento com empreiteiras, a compra de votos desde a primeira eleição para presidente de Associação de Moradores do seu bairro, as alianças partidárias, as manobras políticas... enfim nada muito diferente do que vemos hoje. A diferença seria no glamour de como eu escreveria essa história. Nas tramas paralelas, abusaria da comédia e da aventura, é claro.

Posso garantir apenas que, na minha novela, a arte iria imitar a vida e o final seria bem apoteótico, do tipo daquela cena que o Marco Aurélio foge do Brasil em um helicóptero dando uma grande banana para os brasileiros, comprovando a impunidade do Brasil. Não vou contar para não estragar a surpresa...



Comentários

Brigitte Belmont

brigitte@jornalpress.com.br
Brigitte Belmont é jornalista, publicitária, relações pública, fotógrafa, colunista, redatora, revisora, radialista, apresentadora, produtora, modelo, atriz, diretora, escritora, web designer, pintora, artesã, atleta, maravilhosa, esplendorosa, magnífica, inteligente, poderosa, modesta e mulher presente nas mais variadas e distintas situações para mostrar que a cidade não para e está sempre em movimento.

Compartilhe...